Seis Dicas de Design Instrucional para Aumentar o Engajamento dos Alunos

banner_docebo_ptBR_728x90

 

484267921

Fornecer uma experiência engajadora e divertida através de cursos on-line não precisa necessariamente quebrar o seu orçamento, e pode na realidade garantir um elevado retorno do investimento a longo prazo através do aprendizado capaz de transformar. O aprendizado on-line já se mostrou efetivo em termos de custos, ao permitir um maior alcance de pessoas espalhadas geograficamente.

Entretanto, ele não deveria somente transformar o seu orçamento e a capacidade de ampliar a audiência atendida, mas deveria mudar o comportamento e o desempenho das pessoas. A nova geração de aprendizes já possui a expectativa de uma experiência multimídia com elevada interatividade e atratividade visual. A boa notícia é que existem maneiras de aprimorar os seus treinamentos, engajar os aprendizes e conquistar stakeholders.

Aplique o aprendizado em camadas

Aplique uma abordagem de aprendizado em fases ou camadas que incluam:

  1. Informações audiovisuais de elevada qualidade;
  2. Informações detalhadas em formato de texto;
  3. Oportunidades para interação e aplicação de habilidades.

A camada 1 fornece uma maneira visual para os aprendizes entenderem informações básicas sobre o que o capítulo ou tópico trata. A camada 2 fornece o principal – detalhes, estratégias, dicas, etc. A camada 3 inclui interações e a aplicação de habilidades. Qualquer ponto do processo de aprendizado que permita que o aprendiz interaja com o conteúdo oferece uma oportunidade de engajamento, aumento de retenção, e alcance dos objetivos de aprendizado.

Esta experiência em camadas normalmente rompe o conteúdo conceitualmente, não só de uma perspectiva de aprendizado adulto, mas também de uma perspectiva técnica. Olhe para o próprio conteúdo, e para as ferramentas utilizadas para cria-lo, como um quebra-cabeças. Cada camada pode ser vista como uma “pílula” de conhecimento – ou objeto reutilizável – onde o conteúdo e a experiência do usuário se tornam uma coisa só.

A tendência no meio da educação é fazer com que um conteúdo se enquadre em uma única ferramenta de autoria ou LMS. Pense de forma inversa, e escolha uma variedade de ferramentas que irão trabalhar pelo conteúdo e pela experiência de usuário que você deseja.

Não estamos aqui para advogar a favor de uma ferramenta de autoria específica, mas você pode usar uma combinação de ferramentas prontas e codificação para criar animações, textos, e interatividade e então coloque tudo junto para compor um quebra-cabeças maior – ou um framework.

Use o Design Responsivo

O aprendizado on-line responsivo em dispositivos móveis irá permitir um crescimento de acesso e uso por muito mais pessoas. Aprendizes mais jovens já cresceram com os dispositivos móveis nas mãos, se sentem confortáveis com eles, e normalmente preferem a natureza autodirigida dos aplicativos móveis.

Isso representa, de muitas formas, a personificação do aprendizado autodirigido, ao colocar o tempo, o local e a escolha do conteúdo completamente nas mãos do aprendiz.

E não devemos confundir isso com o m-Learning, que trata especificamente da experiência com um conteúdo exclusivamente desenhado para um dispositivo móvel. O design responsivo significa essencialmente que o aprendizado pode funcionar em qualquer meio (PC, tablet, smartphone, etc.).

Incorpore cenários imersivos

Os cenários imersivos incluem o conceito de agrupamento de decisões a partir de opções de múltipla escolha que permeiem a experiência de aprendizado. Esse tipo de aprendizado permite a que os usuários façam escolhas e determinem por ondem querem seguir.

Aprendizes, para os quais são apresentados desafios ou cenários, são desafiados a aplicar estratégias e baseado em suas respostas, recebem cenários e caminhos diversos nos quais devem optar pelas melhores decisões para completar a missão que lhes foi apresentada.

Treinamentos sobre soft-skills ou processos oferecem uma excelente oportunidade para utilização de cenários imersivos.

Ao invés de dizer para os aprendizes sobre os processos 1, 2 e 3, apresente para eles um cenário e deixe que eles mesmos decidam e descubram o que são os processos 1, 2 e 3! Dependendo do seu orçamento, esse tipo de abordagem pode ser adotado através de animações básicas e questões de múltipla escolha, com comentários e feedback, ou até mesmo com simulações mais complexas que incluam programação mais avançada como a que encontramos em jogos ou mundos virtuais em 3D.

Misture as mídias e aumente a interação

Selecione um tema para cada lição e use-o consistentemente nas animações multimídia. Escolha o conceito das animações, personagens, imagens de bancos e muito mais! Use efeitos de texto e transição de telas para comunicar conceitos em animações. Ao utilizar textos em maior tamanho e animações adequadas para cada propósito torna-se possível manter o aprendiz engajado mesmo sem um exagero de recursos.

Aumente a interação incorporando uma variedade de recursos ao longo da experiência de aprendizado. Lembre-se que quanto mais o aprendiz puder interagir com o conteúdo, mais ele ou ela se manterá engajado(a). Algumas opções simples que vão além de quizzes de múltipla-escolha incluem cenários, exercícios de arrastar e soltar, vinhetas de vídeo, imagens com textos, dentre outros recursos.

A interatividade oferece uma oportunidade para reforçar conceitos e permite que os aprendizes apliquem e testem suas habilidades.

Amplie o micro e-Learning

Os módulos em micro e-Learning são atrativos e altamente efetivos para públicos que vivem com os seus dispositivos móveis e que já aprendem através de aplicativos como o YouTube, o Lynda.com, ou similares. O micro e-Learning oferece oportunidades para complementar o treinamento inicial e periódico através de soluções do tipo “just-in-time” para uma variedade de tópicos e desafios.

Já vimos diversas definições e aplicações do micro e-Learning – desde um treinamento de 8 horas em sala de aula que foi transformado em módulos incrementais de 1 hora, ou um treinamento on-line de 1 hora que foi segmentado em “pílulas” de conhecimento de 15 minutos. Seja qual for o motivo para adotar o micro e-Learning é importante evitar o uso de uma estrutura de capítulos e módulos longos, optando-se sempre pelo foco em um aspecto ou tópico bem específico, além do aprendizado imersivo baseado em cenários como a metodologia primária.

Gamifique!

Aplique o Gamification – não o confunda com os famosos serious games. Pegue os conceitos e transforme-os em um jogo. Ranking de pontuação, medalhas, níveis de progresso são somente algumas maneiras de promover a experiência de gamification, aumentando a motivação intrínseca dos aprendizes além de oferecer reconhecimento pelo bom desempenho.

Esta é uma ótima maneira de criar uma abordagem personalizada junto a um público. Crie um sistema de recompensa ou reconhecimento dentro de um sistema de aprendizado on-line.

Esta abordagem pode envolver recompensas individuais baseadas na competição dentro de um grupo. Painéis de desempenho podem indicar os indivíduos com melhor progresso ou melhor aproveitamento. A conclusão de módulos ou capítulos podem acumular moedas ou medalhas que tragam o senso de completude ao aprendiz.

Fonte: Six Instructional Design Tips for Learner Engagement – Jacqueline Bessette – Learning Solutions Magazine

Equipe Clarity Solutions

Conheça as soluções para e-Learning da Clarity Solutions

banner_docebo_ptBR_728x90

 

Anúncios

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s